A Geografia das Curvas

Não ser e não estar

Habituara-se a sentir-lhe o cheiro. A príncipio era estranho, mas depois tornou-se tão natural quanto o oxigénio que lhe preenchia os pulmões. E mais que natural, tornara-se delícia, um gostinho especial, do cheiro o sabor, como que lambendo os dedos de guloso perante grande espanto, porque afinal, afinal, ele era um gajo estranho. Estranho na […]

Posted in Crónicas curvas2 comentários em Não ser e não estar

Polaridade

A arrumação da vida em compartimentos estanques é muito confortável. As coisas são brancas ou são pretas, isso é excelente para o sentido de orientação e não dá muito trabalho. Sabe-se sempre onde as coisas estão e é um modo fácil de manter uma área ordenada à nossa volta. Deslizar em cinzentos é mais trabalhoso, […]

Posted in Crónicas curvas3 comentários em Polaridade

Iluminar

Se é importante para ti, é importante para mim. Não interessam as escalas, as dimensões são diferentes, necessariamente diferentes, o estar e o não estar são irrelevantes ainda que fosse melhor estar, e falar, congratular, alegrar. Mas se é importante para um é importante para outro. Mesmo que seja unívoco. O que conta é sempre […]

Posted in Crónicas curvasLeave a Comment on Iluminar

Inerte

Lembro-me perfeitamente de estar adormecido. Tinha combatido um sistema de som pouco cooperante para ambientar aquele espaço com algo etéreo, uma banda sonora que elevava ao sagrado o que já o era no silêncio. E tinha adormecido. Despido, enfiado numa cama, à espera que as horas se deitassem também elas, que os minutos tombassem como […]

Posted in Crónicas curvasLeave a Comment on Inerte