A Geografia das Curvas

Não ser e não estar

Habituara-se a sentir-lhe o cheiro. A príncipio era estranho, mas depois tornou-se tão natural quanto o oxigénio que lhe preenchia os pulmões. E mais que natural, tornara-se delícia, um gostinho especial, do cheiro o sabor, como que lambendo os dedos de guloso perante grande espanto, porque afinal, afinal, ele era um gajo estranho. Estranho na […]

Posted in Crónicas curvas2 comentários em Não ser e não estar