A Geografia das Curvas

Não me fodam o juízo

Ocasionalmente interrompe-se a programação habitual, das coisas sobre as quais dá prazer escrever, das que apetece saborear (devagar, degustando as palavras lentamente), porque verdade se diga, sem dinheiro não há palhaços, sem palhaços não há circo, e este circo tem um palhaço de serviço que nem sempre está numa de saborear lentamente, tem momentos que […]

Posted in Crónicas curvasLeave a Comment on Não me fodam o juízo

Lembras-te das palavras que disseste?

Havia luz. Tenho dificuldade em dizer de onde, admito que da rua fria, talvez dos candeeiros lá fora, mas os nossos olhos já estavam habituados à escuridão, os nossos corpos já se tinham agredido com amor tantas vezes, e nenhuma promessa de descanso era cumprida, era só um processo de intenções que ficava pelo caminho. […]

Posted in Crónicas curvasLeave a Comment on Lembras-te das palavras que disseste?