Com o tempo seguirás toda a gente que há para seguir. No diagrama de Venn que tu desenhas, o teu círculo e o círculo de toda a gente vai-se sobrepondo cada vez mais, como um eclipse, o teu espaço intersecta o espaço de todos e a pouco e pouco as gentes vão sendo assimiladas por ti, tu a segui-las, elas a seguir-te. No fim restarei eu, noves fora um, o diagrama de Venn será quase imperceptível, dois círculos quase perfeitamente alinhados, sobrepostos, intersectados. Excepto um pontinho, um pontinho que não segues, as trancas à porta, a venda nos olhos, e um pontinho que se esmaga no diagrama que avança. Com o tempo restarei eu.