Um orgasmo é a cereja no topo do bolo, e há muita gente a esquecer-se do bolo. Eu não. Gosto da cereja, mas adoro o bolo. Adoro lambuzar-me no bolo. Talvez por isso já me tenham dito que sou um gajo estranho. E é pena, porque acho que os homens deviam gostar muito de lambuzar-se com o bolo, e as mulheres só apanham gajos que querem a cereja. E ainda por cima comem a cereja de boca aberta, mastigando-a ruidosamente como se fosse courato num tasco. Acho que as mulheres andam acompanhadas sobretudo de bichos, não de homens. E nos dias em que dou por mim a pensar nisso, deixo tombar a cabeça e lamento, lamento muito. Mas não somos todos iguais. Há gajos estranhos. Como eu.