Se fosse primavera poderia dizer que era alergia. Se fosse conjuntivite, poderia dizer que era doença. Se estivesse a rir agarrado à barriga, poderia dizer que era graçola. Se me tivesse morrido alguém, podia dizer que era tristeza e ausência irrecuperável. Tivesse eu caminhado à chuva e poderia dizer que era isso. Mas assim, assim só posso dizer que és tu. E deixar pingar.

João Por baixo, de lado, por cima

O João é Geógrafo físico e produtor de metano. Para além da geografia e da escrita, interessa-se também por fotografia, cinema e bolos da pastelaria do Manuel Natário em Viana do Castelo. E por mulheres, também. Não necessariamente por esta ordem, e nem sempre em separado. É um palhaço, não raras vezes um idiota, e até mesmo um cabrão, segundo opiniões conhecidas.

Your comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *