Não existe dicionário que ajude neste momento, porque o momento é sublime e consome as palavras com o brilho de um fósforo aceso e o dobro da velocidade. Este é mais um daqueles contos pequenos. Daquelas coisas que se fazem em poucas linhas, porque nenhuma descreve o momento, nenhuma traduz o meu olhar, a minha cara, as coisas que senti. Ouvi dizer que ia ali, sim, mas não ia sozinho. Ouvi dizer que não se aguentava mais. E não há nada que eu possa escrever ou dizer que chegue sequer perto do que hoje recordo.