É como a turbulência nos aviões. Quando o ar se torna instável e o atravessas a voar. Abana tudo, e tu agarras-te à cadeira, mas é inútil, porque tudo está a abanar ao mesmo ritmo, não há nada onde te possas segurar com confiança, tens de esperar e aguentar. Esperar e aguentar. E é isso, agora. Não tens onde te segurar. Estás sozinho. A abanar sozinho. Por todos os lados. Sozinho.