O quê? Ou antes, obedecendo às minhas raízes minhotas, o quiã? Mas que reles desculpa é essa? Eu não te mereço? Mas faz algum sentido deixar uma pessoa dizendo-lhe que não a merece? Que é muito boa para ela e que, como tal, não pode ficar com ela porque não a merece? Por absurdo que seja, a verdade é que se ouvem pérolas destas de vez em quando. Quando faltam outros argumentos ou capacidade para descobrir razões válidas, a desculpa que por vezes aparece no final das relações é essa: eu abandono-te porque não te mereço. Fica por saber o que é mais idiota, se a desculpa ou a pessoa que diz tamanha baboseira.

Quem usa esta desculpa para terminar uma relação só pode sofrer de bronquite, essa tal condição crónica e aparentemente sem cura que é determinada pelo facto de se ser bronco. Ou bronca! Não é um argumento credível. Sempre ouvi dizer, e a meu ver é um bom aconselhamento, que se deve procurar estar com pessoas iguais a nós, ou melhores. Estar com alguém que é igual a nós é estagnar, parar no tempo, e além disso um profundo aborrecimento. Estar com alguém pior que nós é, ou deveria ser, impensável. Só resta estar com alguém melhor que nós.

E se assim é, que atitude se adopta? A de ir embora porque não merecemos algo melhor que nós? Claro que não. Procura-se a companhia dessa pessoa e faz-se por aprender, por melhorar, por ganhar a experiência que fará de nós pessoas melhores do que aquilo que somos no momento. O mundo das desculpas esfarrapadas está recheado de frases e pensamentos que apenas não resultam em boas gargalhadas e anedotas de primeira classe porque normalmente são ditas em contextos de sofrimento. Se, quando alguém chega ao pé de nós com uma desculpa dessas para terminar a relação, a situação não implicasse algum sofrimento, decerto cairiamos por terra, agarrados à barriga, rebolando de tanto rir.

Mas efectivamente não é isso que acontece. Não são coisas com piada, apenas ridículas, e ainda assim tenta-se retirar algum sentido dessas desculpas, tenta-se entender que raio se passou para as coisas chegarem a esse ponto. Mas não vale a pena. Quem nos está a dar uma desculpa desse tipo certamente não sabe o que diz. Possivelmente nem sabe a quantas anda, não sabe para onde vai, não sabe o que lhe aconteceu. E, não querendo admitir que está à banda, diz uma barbaridade qualquer esperando que seja facilmente engolida do outro lado. Ou então, se sabe bem as razões, está a querer escondê-las. É um mundo cão este das relações amorosas. Se, algum dia, alguma mulher me vier dizer que me deixa por não me merecer, vou fazer o melhor que puder por rebolar a rir. Antes rir que chorar.

@2001-08-04 20:19